Notícias

Estresse Hídrico e perda de produtividade (Parte II)

  • 10 de Nov

O estresse hídrico, também chamado de escassez hídrica física, é uma situação onde a demanda por água é maior que a sua disponibilidade e capacidade de renovação em uma determinada localidade. Essa situação pode ser causada tanto por fatores naturais, quanto pela má preservação e gestão dos recursos hidrográficos.

Devido ao aquecimento global que vem se intensificando nas últimas décadas, faz-se necessário o uso de tecnologias que possam minimizar os efeitos do estresse hídrico.

A formação de perfil de solo na região Oeste da Bahia nesta safra 2015/16, foi fundamental para que as plantas aprofundassem as raízes e buscassem principalmente água e alguns nutrientes em profundidade no solo.

No ebook Estresse hídrico e perda de produtividade (parte II): Uso de plantas de cobertura para a sustentabilidade do algodoeiro, você vai dessa vez abordando a formação de perfil de solo na região Oeste da Bahia e dando ênfase para o uso de plantas de cobertura e sustentabilidade do algodoeiro.

Clique nesse link aqui embaixo e cadastre-se para baixar o ebook: Estresse hídrico e perda de produtividade (parte II): Uso de plantas de cobertura para a sustentabilidade do algodoeiro.

>>>>CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O EBOOK<<<<<

Baixe também o ebook Soja, como lidar com o estresse hídrico (Parte I) e saiba mais sobre o estresse hídrico e as práticas para minimizar esse problema na cultura da soja:

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O EBOOK ESTRESSE HÍDRICO (PARTE I)

 

Ver todas Notícias

Recomendo

Os Rumos do ...

Tema foi discutido no Agro Cenário 2019 – Cultivando o Progresso da Agricultura Brasileira   Um evento realizado pela Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil) e a Corteva Agriscience reuniu integrantes do novo governo e especialistas em agronegócio para discutir as

Manejo Integrado no ...

O uso de um conjunto de técnicas de controle de pragas e doenças, incluindo produtos químicos, agentes biológicos e manejo de cultura, é chamado de manejo integrado. Quando aplicada corretamente, essa técnica se torna uma alternativa eficaz para proteger as culturas, inclusive contra uma das